quinta-feira, 12 de março de 2015

A Soberania de Deus e sua utilidade prática!



Tudo o que existe começa em Deus (Gn. 1:1), pois, Ele é o Criador de tudo o que existe no universo. Assim afirma a Escritura Sagrada: “Nos céus, estabeleceu o Senhor o seu trono, e o seu reino domina sobre tudo” (Sl. 103:19). Ele é o “Deus Altíssimo; o Todo-poderoso; o soberano Senhor” (Gn. 14:18; 17:1; Ap. 1:8 e Dt. 3;24 e Ap. 6:10).
Afirmar que Deus é soberano é o mesmo que declarar sua onipotência, ao ser Ele possuidor de todo o poder nos céus e na terra, de tal maneira que ninguém pode impedir os seus conselhos, contrariar os seus propósitos ou mesmo resistir à sua vontade (Sl. 115:3) pelo fato de que Deus governa as nações estabelecendo reinos, derrubando impérios e determinando o curso das dinastias, segundo o seu agrado. O que o apóstolo São Paulo disse a Timóteo sobre Jesus é uma forte declaração da soberania de Deus: “... o único Soberano, o Rei dos reis e o Senhor dos senhores” (I Tm. 6:15). Este é o Deus revelado na Bíblia.
Saber de tudo isso sobre a pessoa de Deus tem sua utilidade prática no aconselhamento e conforto daqueles que sofrem. Pode-se dizer que Deus tem um plano perfeito (Ef. 1:9-11) e isso é para aquele que sofre uma fonte de conforto que o levará a ter esperança em meio a dor e sofrimento. Afirmar que Deus em sua sabedoria tem um plano perfeito que engloba tudo o que acontece nesse universo criado por Ele é a fonte de uma sensação de segurança para nós seres humanos que vivemos nessa pequena parte do imenso universo de Deus.
Se Deus tem um plano, e Ele de fato tem, então esse plano é certo de que acontecerá da maneira em que Ele mesmo determinou. Esse plano de Deus possui características que são reveladas nas Sagradas Escrituras. Elas são as seguintes:
    
      O Plano de Deus é Eterno.

Sendo a existência de Deus algo que ultrapassa a dimensão do tempo ela é então eterna. O plano de Deus foi concebido antes da criação de tudo o que Ele próprio trouxe à existência pelo poder da sua Palavra. A Eleição dos salvos se deu “antes da fundação do mundo” (Ef. 1:4). Então podemos confiar que Deus tanto planejou tudo o que ele permite acontecer quanto Ele sabe o que há de acontecer conosco em nossa existência aqui na terra. Nada foge ao Plano eterno de Deus.
  
      O Plano de Deus é Imutável.

Como Deus é imutável em sua essência (Ml. 3:6) o Plano de Deus é tal qual Ele mesmo é. Isso nos mostra que sendo então seu plano imutável Ele pode declarar “... que desde o princípio anuncio o que há de acontecer e desde a antiguidade, as cousas que ainda não sucederam; que digo: o meu conselho permanecerá de pé, farei toda a minha vontade” (Sl. 46:10). Isso é um bálsamo na alma para aqueles que estão enfrentando dificuldades  e sofrimento na vida.
   
     O Plano de Deus é todo Abrangente.

Saber que, ao contemplar o Plano de Deus na minha vida, posso me assegurar e não apenas sentir que estou seguro em suas mãos, faz com que a experiência da dor e da tristeza seja amenizada, pois não há nada que possa fugir ao controle daquele que detém a História, tanto minha quanto do universo, sob seu poder. Este maravilhoso plano abrange toda a História humana relatada desde o Genesis até o Apocalipse. A Bíblia nos diz que Deus “... de um só [homem] fez toda a raça humana para habitar sobre toda a face da terra, havendo fixado os tempos previamente estabelecidos e os limites da sua habitação” (At. 17:26). Então é possível entender que nada está fora do campo de atuação e do controle do Soberano Deus.
  
     O Plano de Deus é todo Inclusivo.

A abrangência do Plano de Deus dá ao ser humano a consciência de que ele a tudo inclui. Nada pode escapar a este plano nem fazê-lo melhorar e jamais o fará ser frustrado. Deus planejou cada detalhe de maneira que é maravilhosamente assombroso observar como tudo concorre para a realização tal qual Ele determinou. Como exemplo pode-se lembrar que nele está incluído cada um dos acontecimentos particulares da vida humana assim como foi no caso de José, filho de Jacó que fora vendido como escravo por seus próprios irmãos: “Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra e para vos preservar a vida por um grande livramento. Assim, não fostes vós que me enviastes para cá, e sim Deus...” (Gn. 45:7-8). Além disso, também inclui os eventos tidos como casuais: sorte ou azar. “A sorte se lança no regaço, mas do Senhor procede toda decisão” (Pv. 16:33). E também é fato que nesse Plano de Deus até mesmo os atos humanos estão incluídos: tanto maus quanto bons. Paulo escreve aos efésios: “Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas” (Ef. 2:10). E por fim pode ser afirmado que mesmo as ações más dos seres humanos no Plano de Deus são revertidas de maneira a redundar em bem de acordo com a boa vontade de Deus. Assim as ações desagradáveis são transformadas em benção. Veja a história de José acima citada e também Genesis 50:20: “Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida”.
Portanto, ao crer na Soberania de Deus o ser humano pode renovar as suas esperanças de que ele não está esquecido neste pequeno planeta que gira em torno do sol. Há um Deus preocupado com ele e seus dilemas e que por ser soberano pode, sabe e quer se fazer presente na sua história. Deus em sua soberania proporcionou a solução para o maior problema humano que é o pecado enviando seu Filho bendito ao mundo para resgatar os que estavam sob a maldição do pecado. É fonte de conforto e consolo o saber que Deus não está ausente deste universo nem indiferente para conosco, seres humanos mortais. Ele já deu prova de seu interesse por nós: “Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós sendo nós ainda pecadores” (Rm. 5:8). E por fim, para aquele que sofre o melhor conselho é reconhecer que “no céu está o nosso Deus e tudo faz como lhe agrada” (Sl. 115:3) Aceitar a Soberania de Deus é o primeiro passo para um relacionamento pessoal e íntimo com Ele. É necessário reconhecê-lo como Ele é, o seu poder e a sua soberania.





Nenhum comentário:

Postar um comentário